Páginas

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Stream of Passion - Nostalgia

Con la vista sobre el mar
Busca entre las olas una señal
Algo que le ayude a olvidar la verdad
Toda una vida de lágrimas
Cede a la locura y luego calla
Por amor a un dia que jamás volverá
Cuando la rosa muera
Calmará sus ansias en letras vanas
Por amor a un dia que jamás volverá
Por amor a un dia que jamás volverá

domingo, 20 de junho de 2010

Bem, ainda falando do pragmatismo espontâneo. Por mais que o gato seja de casa, ele é acomodado por ser de casa, e o rato de longe, pelo menos se esforça bastante...
"É melhor alimentar o gato que é de casa, do que alimentar o rato que é de fora."

Fiz-me essa pergunta durante certo tempo, e postei nesse blog parte desse pensamento. Mas, cheguei à um ponto sem uma resposta concisa, e, vou partir a algo que não gosto e não queria, o pragmatismo espotãneo, vai ser pela prática que vou fazer minha teoria, vamos ver no que da, se ganha o gato ou o rato...
05:18
05:20
20/06/2010

quarta-feira, 9 de junho de 2010


Por que as coisas mais simples são as mais impressionantes e belas?
Difícil explicar, mas fácil de perceber. Porque as coisas belas e boas da vida são vistas como o perfume das rosas? Fáceis de esquecer, imperceptíveis, e poucos dão atenção, poucos dão atenção a essas coisas tão belas...
É estranho como o mundo se tornou tão fútil. Tantos e tantos vêm falar de razão, mas concordo cm Rousseau quando faz certa crítica a essa nossa razão e reflete sobre algo além da razão. Se a ignorância humana foi tão ruim e precisou ser deixada de lado, por que não fazer o mesmo com essa razão?
O mundo é tão belo e perfeito, mas as pessoas preferem a TV, o céu é lindo de dia, é lindo de noite, mas ninguém vê isso, e por quê?
Aonde foi parar a razão? Morreu com a simplicidade? Há tempos atrás os “ignorantes” sabiam aproveitar as dádivas naturais, será que devemos voltar á isso? É melhor abrirmos os olhos, caminhamos para um abismo, e não por falta de caminhos, mas com preguiça e com medo...
A complexidade e a perfeição do mundo estão nas coisas mais simples, a essência de tudo vem da mesma origem, e todos deveriam saber qual é ela, mas infelizmente a maioria descura isso...e depois o louco sou eu...

02:54
03:03
09/06/2010

sábado, 5 de junho de 2010

Onirico

Tal realidade efêmera
Deixara-me em onirismo,
Por querer eu mesmo
Que fosse o que antes era.

Não ganhamos nem perdemos,
Nosso jogo não tem fim
Vai ficar assim?
O que fizemos?

Forá um sonho acordado.
Ah que dera existisse
Tal criatura.

Eu fiquei desapontado
Mas impedi que meu orgulho se esvaisse.
Mas restara um auguro?

02:55~
03:01
05/06/2010

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Maquiavel dedicou quase um livro inteiro em certos temas, dos quais um se tornou o principal de tal obra: É melhor ser temido ou amado?
Em: O Príncipe, Maquiavel trouxe essa temática que ultrapassou os tempos. Muitos estudiosos e interessados sugeriram muitas hipóteses, a que mais me convém é: Equilibre e saiba ser temido por que deve, e amado por quem deve. Se precisar mudar, sempre mude de amado para temido, nunda de temido para amado. Não seja alguém realmente bom, mas transpareça ser, é ótimo que pensem que você é bom, mas no fundo, você não é, e terá suas cartas na manga.
Seus olhos dizem muito, então valorize os dois que tem, saiba dizer o certo na hora certa. Seja bom, mas não idiota, e se possivel saiba que certas pessoas acham que você é idiota, e surpreenda-as na hora certa.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Objetivos bem definidos, claros, diretos, sem dúvidas, e com hipóteses. Cabeça firme, pensamento claro.
Razão bem definida e pensada, talvez como diria Russeau, "algo além da razão."
A brincadeira vai ser divertida, talvez desastroza, mas no fim é sempre divertida.

O Segredo da pirâmide parte I

Bem, em fim, o segredo da pirâmide de Adelmo Genrro filho é revelado. Trata-se de notar que a pirâmide que representa a notícia não é invertida, mas, sim a convencional, onde o lead não pode ser a maior concentração de informação, e sim apenas a porta das informações posteriores na notícia, ou mesmo o guia para outras informações. Nesse caso o lead é apenas a configuração do fenômeno, a sua visão singular, que vai delinear para as tantas outras informações que talvez nem estejam na na notícia em questão. O Lead vem dar o inicío pelo viés singular, e adiante ele parte para o universal, sabendo que todos estão interligados, o universal se constroi pelo particular e pelo singular.
Assim, o jornalismo como modalidade social de conhecimento, traz o fenômeno e dele constroi, ou desconstroi os fatos, na criação de um conhecimento onde existe a manipulação de um jornalismo militante, porém ético e visado em um construto verdadeiro. O Sujeito é objeto, e o objeto é sujeito, e dessa forma a manipulação voluntária constroi um conhecimento para o público, e do público.
Baseado na aula de 01/06/2010
"É melhor alimentar o gato que é de casa, do que alimentar o rato que é de fora."
Assim disse-me meu pai, um dito não tão popular daqui, segundo certo contexto que não vem, ao caso agora.
A questão é: Será que isso faz tanto sentido assim?
?

Teste

Eu testei, mas, logo depois me arrependi, e o que descobri? que não era tanto, só meu ego aumentou. Me arrependi, isso é bom ou ruim? vou testar mais dois, na verdade três, e se eles descobrirem? Talvez não seja nada demais. A questão é, ser ou não ser? sou ou não sou? E qual é qual deles, e qual? ou será apenas um? a indagação da indagação, e vem mais uma: A loucura avisa quando chega? Ou será que tudo resume-se à eu mesmo me testando sem saber? No final é sempre o mesmo, e eu só saberei depois do teste, me arrependendo ou não, será tarde, o teste estará feito. Mas anda volta a indagação: testar?

04:16
04:21
01/06/2010

?

...?
...?

04:00
04:09
01/06/2010

É' ra um mundo

Era um mundo tão pequeno
Que dava pra ver o outro lado.
Com dois sorrisos, estava acabado
E, se subia de céu para inferno.

Era transparente
Mas, com algumas rochas.
Nele, tudo se vê e pouco se sente.
É paisagem de rosas murchas.

Era um mundo tão simplório
Mas, fazia-se rir e chorar.
Era um mundo de amar
Como a correnteza de qualquer rio.

Era um mundo tão próximo
D'onde os homens não conhecem um décimo.
É um mundo de tragédia,
É um mundo de comédia.

04:24
04:32
31/05/2010